12.10.10

Jihad mediática contra Israel

Já se passaram alguns dias do acontecimento e, que eu me tenha dado conta, os media portugueses ainda não noticiaram esta ocorrência.
A notícia não deve tardar: os nossos jornalistas estão só à espera que a informação seja digerida pelos seus congéneres europeus e norte-americanos para depois a regurgitar para cima dos seus incautos consumidores.

Um grupo de miúdos árabes atacou à pedrada um automóvel conduzido por um judeu que circulava na estrada de Silwan ― bairro de Jerusalém Oriental pretendido pelos árabes. O condutor atropelou um dos garotos que o alvejavam. As imagens , sobretudo sob a forma de fotografias, correm mundo como mais uma demonstração da desumanidade dos judeus: onde já se viu alguém atropelar uma criança e seguir caminho?



Tendo como certo que esta é a história que nos será servida, propomos ao que veja o video e leia os comentários do Elder of Zion:


E uma parte dos comentários referidos:
(...) I have yet to see any of the media mention that the stone-throwers smashed the rear windshield of the car with their peacful protest pebbles. In fact, from the video one can see that out of all the photographers that were there, only the videographer took footage of the car afterwards showing the damage; the rest rushed to the kid. (Most of the media showing the video do not bother to show that part of the footage either; Al Jazeera is the best example but even Fox only showed it momentarily after showing the kid being hit three different times.)

(...) there was (...) [an] earlier footage showing Mansur about to throw a stone at a different car, so he was at the scene for at least some time; he was running full-speed towards the car, not away, and he was in the middle of the street, not the sidewalk.The driver was swerving to avoid a different stone-thrower. In other words, he had a car behind him and two kids in front of him; if he would have stopped he would have been in mortal danger.

(...)

There were about six or seven journalists at the scene, possibly more than the number of stone throwers. It is hard to imagine that this event was not at least partially staged by them.
O comentador remete ainda para a apreciação feita ao incidente por um fotojornalista israelita, o qual aponta para a existência de vários indícios de que a sessão de tiro-ao-alvo terá sido orquestrada com o propósito de de serem feitos registos foto e videográficos eventualmente danosos para o estado de Israel, para contar uma história que perpetue o estatuto dos árabes da região como vítimas indefesas da opressão e crueldade israelita.

1 comentário:

Francisco disse...

serviço público ;)